Novo

recent

Recente

recent

Dieter Wiesner: "O rancho de Michael Jackson era um sonho, exceto pelos crocodilos"


Seu rancho era um sonho, com exceção dos crocodilos. Fazia calor e o céu californiano estava azul brilhante e se estendia sobre o vasto rancho "Neverland", como uma grande tenda. Havia silêncio, apenas se escutava o som dos pássaros e o bater de suas asas, o chilrear dos grilos e o som rítmico do sistema de irrigação em uma parte mais distante que se podia ouvir, se complementavam.

Michael corria através de um prado exuberante, ao principio parecia uma figura minúscula na distância, e depois, lentamente, começou a aumentar, aproximando-se. Ele estava vestindo uma camisa vermelha desabotoada, camisa branca e calças pretas por baixo. O calor era suportável graças à brisa suave do Vale de Santa Ynez... O cabelo e a camisa de Michael se ondulavam ao vento que estava úmido, o andar foi rápido, atlético e tonificado. Muitas vezes, dando pequenos saltos, mais como alguns passos de dança. Seus olhos corriam de um lado para o outro, e ele estava sorrindo sobre este belo dia de verão, tinha bom humor. Ele era um rei em seu reino. Ele estava em seu elemento.

De repente estava em minha frente, colocou as mãos atrás das costas. Michael primeiro olhou para mim e depois para o céu e disse “Olá” com um sorriso, depois de ter dado o seu inimitável «"Olá, Dieter!».

— Deus te abençoe! Você parece ótimo! Oh, que dia maravilhoso! — acrescentou.

Ele percebeu que meu rosto já estava bronzeando. Eu lhe disse que tinha passado a hora do almoço. Na parte superior, nas montanhas de Neverland, onde há grandes rochas — sentado ao sol e meditando —. Ele me olhou de cima a baixo e exclamou com horror em sua voz:

— Assim? O que você está fazendo?

Michael colocou a mão no meu ombro:

— Você está louco? Você ficou louco?

Ele percebeu que eu estava de pé diante dele, com os pés descalços e de shorts.

Os meios de comunicação costumam descrever o rancho Neverland como um paraíso na terra, cheio de borboletas, libélulas e flores silvestres. Claro, isso era verdade. Mas Michael estava se referindo a cascavéis e escorpiões que, por vezes existiam entre as pedras. E assim o fato de que eu estava lá, sem sapatos parecia incompreensível.

Ele agarrou sua cabeça mais uma vez, me avisou sobre as ardilosas "cascavéis" e com uma expressão muito séria me incentivou a não andar com os pés descalços no rancho. Incluso estas criaturas perigosas — criaturas de Deus tem o direito de ir para a arca de Noé, assim como Michael não pedi-los para saírem da propriedade, mas percebeu-os como uma parte do universo de Neverland. Às vezes, à noite e ao longe se ouvia coiotes uivando — uivo estranho e misterioso.

Michael foi ver Prince e Paris — ele fecha as janelas dos quartos das crianças durante o dia, ele é um pai amoroso, cuida das crianças sob seus olhos, e não tão longe disso quando eles estão fora. Porque coiotes são ativos não só pela noite. Depois que eu coloquei minhas calças e meus sapatos, bebemos chá gelado na sombra do terraço e fomos dar uma caminhada ao redor do rancho. Que dia lindo! Nós não falamos sobre novos projetos, ou outros assuntos. Em um dia como este, esquecemos todas as preocupações.  

Nós caminhamos ao longo das velhas árvores, o lago com cisnes negros, com os pavões... e nos aproximamos do recinto de animais do Zoo pessoal de Michael. Devemos ter instintivamente seguido os gritos de papagaios. Finalmente, paramos perto da exposição de crocodilos e nos apoiamos na cerca. De repente, Michael pulou a cerca e em um piscar de olhos, estava de pé à beira da piscina. Ele estava sentado com as pernas balançando um pouco acima da água. Com um sorriso olhava as enormes criaturas imóveis na piscina. Um crocodilo estava logo abaixo dele, com a cabeça na parede da piscina.

Senti-me mal ao vê-lo, mas eu pensei que talvez Michael fizesse isso muitas vezes e que conhecia os répteis. Michael pegou um punhado de pedras e começou a jogar para baixo perto do crocodilo, como que fosse para acordar o réptil. Parecia que o crocodilo não sentia nada, mas mesmo assim, eu avisei. “Michael, tenha cuidado para não exagerar!" Não estava me escutando. 

De repente, a água fervia e o crocodilo que estava perto dele abriu sua mandíbula em um ângulo quase reto e tentou pegar sua perna. Michael rapidamente levantou as pernas para cima, tempos antes da mandíbula do crocodilo fechassem. Depois se colocou acima da piscina novamente.

Ele estava se dobrando de rir. Ele riu e riu jogando a cabeça para trás, não podia parar. Esse era o Michael real.

Fonte: Michael Jackson My Obsession – Por Dieter Wiesner
Dieter Wiesner: "O rancho de Michael Jackson era um sonho, exceto pelos crocodilos" Reviewed by Tiago on 9:30 AM Rating: 5

Nenhum comentário:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.